20 de jun de 2014

CARTAS PARA YASMIN E JUJU: MONOGRAFIA E ELETROMAGNETISMO

Filha, às vezes fico pensando que te meti numa roubada com a monografia rs. Fui eu que tive a ideia e no fundo ainda não sei se realmente você tem interesse, mas agora é tarde né...
Vamos refrescar a memória sobre nossas intenções: queremos produzir energia elétrica através de imãs e de uma forma que não dependa de forças naturais como o vento ou água por
exemplo...só eletromagnetismo. Para isso queremos também produzir uma máquina que possa auto sustentar-se, gerando energia infinita, limpa e custo ZERO.
Wow, qualquer um que entende do assunto vai falar: porra vocês querem descobrir a galinha dos ovos de ouro. Pelo menos e como tese SIM. E esta é nossa proposta mesmo que não dê certo.
Mas sinto-me na obrigação de dar um empurrãozinho nesta pesquisa e te lembrar de conceitos básicos sobre o tema que envolve química e física. Não sou perito mas tenho facilidade em explicar e então vamos lá! Te amo linda.

Independente do real significado de "carga elétrica", sabemos que dentro de um átomo temos duas versões que completam uma dualidade: a carga negativa dos elétrons e a carga positiva dos prótons. E em geral os átomos são eletricamente neutros porque o número de prótons no núcleo é igual aos número de elétrons na eletrosfera, significando carga 0. Mas por causa da carga elétrica isolada destas partículas, existe em torno dos elétrons e dos prótons um campo de força, uma espécie de "aura" que chamamos de campo elétrico.
Mas se o átomo é eletricamente neutro, como gerar eletricidade?
Para isso alguém tem que sair de um átomo e ir para outro e com certeza não serão os prótons que estão no núcleo, pois a Força Forte que os prendem por lá é gigantesca.
Sobraram então os elétrons que fazem jus ao nome eletricidade.
Querida, existe uma tendência e comportamento muito interessante dos átomos: eles gostam de ter a última camada, aquela que chamamos de camada de valência, completinha com todos os elétrons que ela pode suportar. Mas não é o caso de muitos elementos químicos. Vamos então analisar o elemento Cobre, que será muito utilizado em nossa pesquisa.

















Podemos ver que a distribuição dos 29 elétrons do átomo de Cobre, ocorre de uma maneira que um deles encontra-se solitário na camada de valência e pela distância que ele está do núcleo gravitacional, fica fácil ser lançado para fora. O átomo meio que deseja doá-lo.
Entendemos assim porque o Cobre é chamado de condutor elétrico: ele é bom no transporte de elétrons.
Analisando este gráfico podemos perguntar: mas o que faz o tal e primeiro elétron "saltar" para o átomo seguinte? E ai entramos no magnetismo e nos imãs.
De uma maneira muito simplificada:
. Se um elétron está apenas orbitando o núcleo do átomo, temos somente um campo elétrico em ação.
. Se um elétron está em movimento para outro átomo, ai temos um campo elétrico e magnético em ação e como quase tudo o que acontece na natureza é movimento, temos sempre algum campo eletromagnético.
O magnetismo é o relacionamento entre os campos elétricos ou, esotericamente, entre as "auras" destas entidades inteligentes chamadas elétrons e prótons...um tipo de relação similar com a vida humana, que para os céticos é somente fruto das interações entre as partículas; um lugar aonde se acredita existir consciência, sensações, pensamentos, memórias, etc...
E neste momento podemos abordar sua monografia. Iremos enrolar um fio de cobre em forma circular e conectá-lo a uma lâmpada. Já sabemos que o elemento Cobre fará o transporte dos elétrons até a lâmpada, mais precisamente, até um filamento dentro dela que irá reduzir a velocidade destes "elétrons saltitantes", produzindo luz e calor, que são outros aspectos do espectro eletromagnético. Falta então algo que dê um empurrão contínuo neste movimento eletrônico.
Existe na natureza um mineral chamado Magnetita, um óxido de ferro que descobriu-se possuir um forte campo magnético muito embora os átomos que o compõe, estejam meio que "parados", o que nos levaria a pensar então que somente o campo elétrico devesse existir. Este mineral é chamado de Imã. Como mostram as ilustrações, existem duas fortes áreas de influência neste campo: o pólo norte e pólo sul. E o campo se movimenta do norte para o sul, fechando um circuito.
Será este Imã e seu campo magnético, que ao aproximar-se do fio de Cobre, irá impulsionar o primeiro elétron, aquele solitário, a saltar para o próximo átomo, gerando o movimento elétrico. O problema é que a corrente não continua se o Imã ficar parado. Tudo acontece somente uma vez, a lâmpada irá acender mas se apagará imediatamente.
E então precisaremos gerar movimento contínuo para este Imã produzir eletricidade. Este é nosso desafio boneca!!!


13 comentários:

  1. Boa noite, Ricardo
    não entendo de Física, nem Química,nem nada do que você escreveu aí, mas achei extremamente interessante
    a sua maneira de explicar. Até reli ,pois achei muito bom, não digo que aprendi,mas entendi . Fiquei feliz por isso. Obrigada! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Acho que já vi algo assim no youtube. Está em inglês mas pelo que entendi, os ímãs utilizados no projeto têm duração de 500 anos o que não chega a ser infinito mas é bastante tempo...

    ResponderExcluir
  3. Entendi nada... a unica coisa que entendi foi seu carinho pela pessoa que vc esta ajudando... que parece ser a Juju e Yasmin...

    ResponderExcluir
  4. Não entendi bulhufas, quanto mais li, mais a minha cabeça deu um nó, afinal sou péssima em física, mas entendo ( e muito ) de amor e não é a primeira vez que se declara para a sua menina. Isso é lindo. Parabéns cara, tu é dez, vice?!
    Um xero do tamanho da Bahia pra ti e pra tua família!

    ResponderExcluir
  5. Bom rs, no dia em que escrevi este post estava sob efeito de algumas taças de vinho e achei tudo bem claro, cristalino e de fácil assimilação...dias depois caiu a ficha que o assunto é meio estranho e complicado. Mas agradeço aos blogueiros que ao menos tentaram. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou há três anos desta postagem, mas espero levar alguma luz ao assunto. Acontece que há sete anos me irritei com o corte da energia aqui em casa, por falta de pagamento, quando estava me recuperando de acidente de moto.
      Comecei então pesquisa, interessado em gerar energia. De cara, encontrei um rap falando sobre Free Energy, Nikola Tesla... https://www.youtube.com/watch?v=RaKGTReZYhA Também encontrei o motor magnético.
      E, em meio a experiências, observando a repulsão magnética, imaginei transformar a energia potencial acumulada no campo magnético do imã, em energia cinética proveniente da repulsão no motor magnético; utilizando motor elétrico para gerar o movimento contínuo. Ilustrei neste link https://www.youtube.com/watch?v=53E-h1BZjog&t=8s Curioso que o motor elétrico continua na mesma faixa de amperagem como em vazio.

      Excluir
  6. Mari, juju e ricardo, estarei guardando por aqui alguns comentários não sobre esta postagem mas sobre outras que leio por ai, mais para referência no trabalho.
    Este é um que encontrei em uma matéria sobre energia infinita produzida com lasers, imãs e fusão nuclear no site:

    http://hypescience.com/27387-fusao-nuclear/
    Leonardo Morsch
    13.03.2014
    É melhor usar o motor a imã, gerado só por imã, como recurso energético, usando uma roda cheia de imã com o pólo norte para fora e aproximar um pedaço de imã com o pólo norte a direção a roda um pouca mais para baixo ou para cima e a roda irá girar,simples não é?

    ResponderExcluir
  7. Comentários a respeito de vários videos do Youtube e blogs mostrando geradores magnéticos de energia infinita.

    http://www.gamevicio.com/i/noticias/151/151666-energia-infinita-por-que-nao-investimos-nisso/

    BudarT_
    tanta bostagem que dá até dó de ler...
    Se isso funcionasse dessa forma esse cara não estaria fazendo vídeo no youtube, estaria ganhando prêmios em feiras de tecnologia.
    1º É impossível algo transferir mais energia do que a quantidade de energia interna. (Uma estrela só pode gerar energia enquanto ela tiver hidrogênio para queimar)
    2º Luz não gera energia, luz é energia.
    3º Energia não se cria, energia não se destrói, apenas se transforma.
    Enfim, todo motor gera eletricidade através do magnetismo, porém é necessária uma outra fonte de energia (principalmente uma fonte mecânica) para que o motor gere um campo eletro-magnético.
    O magnetismo em si pode ser uma fonte de energia mecânica sim, porém você faz ideia do tamanho e da força que o imã deveria ter pra gerar a quantidade necessária de momento para o motor gerar energia elétrica?
    O problema começa aí.

    gothak1
    Kkkk é engraçado vermos essas coisas, não estou me gabando, mas diferente de muitos daqui, eu sou um estudioso da área de energias renováveis.
    Recentemente tive uma reunião com um dos meus orientadores do meu projeto da faculdade, ele chegou a comentar com migo sobre esses videos que circulam pela rede, sobre esses possiveis motores/geradores magnéticos.
    Infelizmente ainda não é possivel realizar o aproveitamento que seja realmente vantajoso visto o custo e o trabalho que é realizado pra construir esses geradores.
    Diferentemente dos geradores tradicionais que são encontrados nas usinas hidroeletricas e eolicas, o sistema que envolve a geração de campo magnético é totalmente diferente. Impulsionados pela polaridade , esse gerador que é mostrado no video, não geraria tensão suficiente para acender um conjunto lampadas led com voltagem superior a 3,4 volts.
    aconselho a quem não sabe , procurar na internet uma lapanda de led de 3,4 volts para ter uma ideia do que eu to falando.
    Enfim , esse gerador pode até ser construído, funcionar e tudo mais , porém é insuficiente para abastecer uma casa, prédios , visto a demanda energetica que necessitamos hoje , no nosso dia a dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, "BudarT_ O magnetismo em si pode ser uma fonte de energia mecânica sim..."
      "gothak1 Kkkk é engraçado vermos essas coisas, não estou me gabando, mas diferente de muitos daqui, eu sou um estudioso da área de energias renováveis.
      Recentemente tive uma reunião com um dos meus orientadores do meu projeto da faculdade..."
      Então... O gothak1 apesar de estudioso não mostrou opinião própria.
      O BudarT_ reconhece a fonte de energia mecânica.
      Acontece que a massa de elétrons contida no campo magnético do imã, pode ser manipulada para movimentar o eixo do motor e gerar energia elétrica quase ao mesmo tempo.

      Excluir
  8. Todos os comentários que até postei apresentam a impossibilidade de nossa experiência galera rs...mas vamos nessa tentar harara!!!

    Estes agora do site: http://www.veraveritas.eu/2012/11/por-que-nao-funcionam-os-moteres.html :

    Luciano Kozlowski29 de Junho de 2013 às 20:51
    Bom eu não sou físico ou cientista e nem formado a nada do gênero sou só apenas um admirador de novidades e dessas coisas científicas maravilhosa, que o ser humano descobre e inventa, mas deixa ver se eu entendi. Bom eu li tudo e todos os comentários e me corrijam se eu estou errado, mas o que eu um simples mortal sem formação nenhuma entendi: é que o "Motor Magnético Perpetuo" existe e funciona, mas por enquanto não serve pra nada (me desculpe os inventores e desenvolvedores dessa maravilha) eu me refiro a nada no sentido se ser útil pra alguma coisa. Pelo que deu pra entender ele só funciona pra ele mesmo, qualquer coisa que for acoplada a ele vai exigir uma força extra e essa ele não tem porque geraria o "atrito" é isso?? Nem mesmo um simples alternador de automóvel acoplado ao seu eixo ele não teria força suficiente para girá-lo e fazer com que produzisse energia nem para uma lâmpada de led sequer to certo ou to errado no meu entendimento??

    Responder
    Respostas

    João Pimentel Ferreira29 de Junho de 2013 às 21:03
    É isso mesmo caro Luciano. Nada se ganha, nada se perde, tudo se transforma! É preciso compreender que o problema moderno para as questões energéticas, não é um problema técnico, é essencialmente POLÍTICO!

    Bruno diniz ferreira24 de Fevereiro de 2014 às 17:12
    Entao coloca um motor pra girar em uma camara a vácuo que ele vai girar pra sempre, sem atrito com o ar.


    João Pimentel Ferreira24 de Fevereiro de 2014 às 22:38
    Caro Bruno. Sim, vai girar para "sempre" assim como a Lua gira em torno da Terra, ou como um pêndulo oscila para "sempre". Aplica-se o princípio da conservação da energia! Se todavia quiser "sacar" energia do sistema, o eixo parará, e para mover um veículo, em travagens e acelerações precisará sempre de "sacar" energia ao sistema. Percebe?

    ResponderExcluir
  9. Vejo que o tema se tornou interessante. Eu também percebi que existem muitos vídeos que parecem fraudes, e o único que botei uma fezinha foi o desse endereço aqui: /watch?v=mHW6b1aFPfU , e como eu disse está em inglês e não tive tempo de traduzir. E como é um experimento, e agora com as impressoras 3d, talvez o custo beneficio caia um pouco.
    Eu gosto muito desse assunto, talvez por ser meio maluco.

    ResponderExcluir
  10. Welcome to my blog of news and information Bouddhiste I come discover yours which seems to me more interesting, I will certainly come back and follow your publications.
    Have a nice day-Cath

    ResponderExcluir
  11. Puxa, Ricardo, como é que eu, sendo das letras, consigo ler atentamente tanta coisa de que não percebo! Simplesmente porque você escreve claramente e desperta a curiosidade...
    Parabéns, uma vez mais!
    Bjo :)

    ResponderExcluir